quarta-feira, 29 de julho de 2015

Windows 10 - Atualização pode levar semanas ou até meses...


Apesar de o lançamento do Windows 10 finalmente ter chegado, o novo sistema operacional da Microsoft pode demorar "semanas ou até meses" --como adiantou a própria empresa-- para estar disponível a todos os usuários. Com versões em 111 línguas para 190 países, o programa será oficializado às 19h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira (29).

A atualização do sistema operacional será gratuita para usuários das versões 7, 8 e 8.1, desde que o download seja feito em até um ano. Mas não adiante ter pressa. Os upgrades serão liberados gradativamente.  

A Microsoft enviará notificações para avisar os usuários quando a atualização estiver disponível, mas, embora isso deva ocorrer logo em algumas máquinas, em outras pode levar certo tempo. A empresa já adiantou que serão priorizadas as 5 milhões de pessoas que testaram as versões beta do Windows 10, além dos compradores de computadores novos.
Na sequência, a nova versão será liberada àqueles que já tenham feito a reserva da atualização em seus PCs.

A grande aposta
Após o fracasso do Windows 8, a Microsoft tem apostado todas as suas fichas na nova versão tanto para recuperar sua reputação e se manter na liderança do mercado de PCs como para se tornar mais atrativa no segmento de mobile.

Pela primeira vez, em julho deste ano, as vendas de dispositivos móveis com iOS --iPads, iPods e iPhones-- se igualaram às vendas de PCs com Windows. Segundo o analista de mercado norte-americano Ben Evans, desde 2008, as vendas de computadores com o sistema operacional da Microsoft se estagnaram a maca de 300 milhões de unidades anuais. Número já alcançado pelo Android desde março de 2012.  

Ainda assim o número de computadores com Windows instalado --cerca de 1,5 bilhões-- ainda é consideravelmente maior que o número de dispositivos com iOS (800 milhões) e com Android (1 bilhão). Em contrapartida, o Windows Phone --também da Microsoft-- conta apenas com cerca de 60 milhões de usuários ativos, segundo dados do IDC Brasil. Mas, na comparação com o MAC OS --sistema operacional para computadores da Apple--, a empresa de Bill Gates também sai na vantagem e domina 90% do mercado. 

Mas a expectativa da Microsoft é conquistar 1 bilhão de usuários novos nos próximos dois ou três anos com o Windows 10.  Uma meta ousada, principalmente considerando a queda na venda de PCs no Brasil e no mundo nos últimos anos. A aposta será no mercado de mobile, que tende a se tornar mais competitivo com a adaptação de apps Android e iOS ao sistema operacional.

Atualmente, alguns lados negativos dos telefones equipados com Windows Phone são a disponibilidade menor de aplicativos e o baixo interesse de desenvolvedores para a plataforma. As opções são bem mais restritas do que as oferecidas para usuários de sistemas como iOS e Android. O app do Instagram, por exemplo, está em beta (em fase de desenvolvimento) desde que foi lançado, em 2013.

Do fracasso ao sucesso
Há grandes chances de a Microsoft ter acertado na mão dessa vez, segundo as avaliações sobre as versões betas do Windows 10, mantendo a sua popular tradição de intercalar lançamentos bons e ruins (alguns às vezes até péssimos). Uma sequência que começou com o 95, que apesar das tradicionais telas azuis, teve um desempenho aceitável. Depois surgem o Windows 98 e ME (reprovados), o Windows XP (aprovado), o Vista (reprovado) e o Windows 7 (aprovado).

As reclamações voltaram no Windows 8, principalmente no que diz respeito ao fim do botão Iniciar e a perda de espaço da tradicional Área de Trabalho. Para tentar agradar os usuários, a Microsoft aposta no retorno do tão aclamado menu Iniciar, no enterro do Internet Explore --que perdeu credibilidade diante das vulnerabilidades de segurança--, e em algumas outras novidades, tais como a assistente de voz e os múltiplos desktops.

Resta aguardar para ver se o Windows 10 terá mesmo a eficiência prometida pela Microsoft, bem como se o novo sistema operacional está resguardado de "bugs" que possam comprometer sua segurança.

Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário